O Ciberdúvidas diz que...

Posted by TELEMAQUIA in

ALCOOLEMIA
... e não "alcoolémia", tal como dizemos LEUCEMIA e não "leucémia".


ÁRCTICO E ANTÁRCTICO
... e não "Artico" nem "Antártico".


HIROXIMA
...e não "Hiroshima".


"JEANS"
Já aportuguesada: JINES. Cf. NEOLOGISMOS.



RAIZ
...e não "raíz". Pl.: raízes.


Fonte: ciberduvidas.com

This entry was posted on sábado, 13 de dezembro de 2008 at sábado, dezembro 13, 2008 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

2 comentários

Boa iniciativa de promoção do uso correcto do português. Recebi um e-mail acerca da deturpação fonética de alguns provérbios que penso que vem a propósito:

"Popularmente diz-se: 'Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho carpinteiro.'
O correcto: 'Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro.'

'Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão.''
Enquanto o correcto é: 'Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão.'

'Cor de burro quando foge.'
O correcto é: 'Corro de burro quando foge!'

Outro, que todos dizem de uma maneira errada: 'Quem tem boca vai a Roma.'
O correcto é: 'Quem tem boca vaia Roma.' (isso mesmo, do verbo vaiar)

'Cuspido e escarrado' - quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa.
O correcto é: 'Esculpido em Carrara.' (tipo de mármore)

Mais um famoso...: 'Quem não tem cão, caça com gato.'
O correcto é: 'Quem não tem cão, caça como gato'... ou seja, sozinho!

Dizia correctamente algum desses ditados?"

14 de dezembro de 2008 às 00:02
Koré  

Também recebi esse e-mail e achei muito curioso! =) Estive quase para o pôr aqui no blog!

Não sei se é mesmo assim como diz o e-mail, porque não fui averiguar, mas se for (e faz muito sentido que seja)... não estou muito de acordo com a terminologia do "correcto/incorrecto".

É uma especulação minha, porque como disse não tentei saber mais, mas penso que a alteração destes provérbios se deve a c-o-n-t-r-a-c-ç-õ-e-s fonéticas, perfeitamente comuns em qualquer língua, que provavelmente terão começado junto das camadas populares e depois se terão estendido à maioria da população. Por isso, e uma vez que a língua não é estanque, que se altera pelo uso que os falantes fazem dela, sem nisso resultar necessariamente um prejuízo, acho que a distinção aqui deveria ser: "origem/ uso popular".

É que... "popular" não é antónimo de "correcto", nem pouco mais ou menos. (if u know what I mean) Aliás, é provável que estes provérbios, mesmo na sua origem, tenham vindo do que "popularmente" se dizia.

De qualquer forma, a mim, o que me pareceu mais interessante foi ver quais as alterações semânticas, mais ou menos acentuadas, que estas contracções produziram.

* Beijinhos *

19 de dezembro de 2008 às 21:31

Enviar um comentário